Início

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Uma Herança de Amor - O Plano Perfeito.




Uma herança de amor – O Plano Perfeito.

Autor: Lycia Barros
Editora: Novo Século
Categoria: Literatura Nacional / Ficção / Romance  

Sinopse:

Como caçula da família, Ivy sempre foi superprotegida pelos pais e pelos irmãos.    Com isso, passou a infância e a adolescência se sentindo sufocada e deixando que outras pessoas tomassem as decisões mais importantes de sua vida. Porém, aos dezoito anos, tentando romper este ciclo, Ivy muda-se para Ouro Preto para realizar o grande sonho de sua vida: cursar a faculdade de jornalismo para poder trabalhar e ser independente o mais rápido possível. No entanto, a sua trajetória na faculdade dura pouco tempo pois, ao visitar os pais em sua cidade natal - São Lourenço - ela se depara com um misterioso visitante: Leonardo Belford. O homem que irá virar a cabeça da família Cavalheiro - e principalmente a de Ivy - de cabeça para baixo. Afinal, ele estava ali com uma dolorosa missão a cumprir, e não pretendia ir embora até que tudo estivesse consumado.

Resenha:

    No ultimo romance da trilogia “Uma herança de amor”, a autora, Lycia Barros, assina com letras maiúsculas a sua capacidade de encantar o leitor através de suas palavras.

    Sentimentos tão esmagadores como o ódio, a vingança e a mágoa são transcritos com clareza dentro de uma história tão envolvente quanto singela.

    Mas não são somente esses sentimentos ruins que direcionam a narrativa. A doação do amor puro e simples, a grandeza do perdão e dos valores morais que nos esquecemos frente a nossa realidade, nos remete a pensar e a avaliar nosso próprio comportamento em relação aos que nos rodeiam e aos que por alguma razão nos infligem algum mal.
    
    Creditar toda a responsabilidade de suas dores a outra pessoa, é muito mais fácil do que assumir sua parcela de culpa e tentar remediar o mal que causamos a nós mesmos, deixando os sentimentos nocivos e enfadonhos nos governar com total liberdade e poder. Assim agimos cada um de nós em um momento ou outro.

    A autora trata de algumas situações comuns e presentes na vida de cada um, com a base de tudo centrada na fé e na esperança, que oscila de tempos em tempos. Mesmo que o problema seja o pior, mesmo que a situação seja desesperadora e que a rendição apareça como única solução, Lycia Barros mostra em sua historia que sempre existe algo a mais pelo que lutar, que nada é tão ruim que não possa ser transformado em algo bom. E que mesmo quebrado ainda existem “super colas” para reagrupar os pedaços do ser humano e formar um novo ser, um recomeço.

    Não contive as lágrimas com as provações pelas quais a protagonista Ivy foi instigada. Nossa! A garota passou poucas e boas! Ou melhor dizendo, passou muitas e ruins! Por vezes um copo de água gelada, ou um grande pote de sorvete de chocolate, foi o único remédio para ajudar a diminuir o nó que se formava em minha garganta (e não foram poucos!).

    E a cada página virada, mais me apaixonava pela história de Ivy.

    Acompanhei o crescimento da protagonista através dos outros livros, que contavam a história de seus irmãos. E enquanto amava Adam e Amanda e depois Rafael e Alexia dos livros anteriores, minhas esperanças e expectativas pela história de Ivy cresceram e confesso que fiquei satisfeita e encantada pela força dessa “guria”. Ela viveu cercada de cuidados, sempre vigiada de perto e quando deu seu grito de liberdade, caiu nos braços do lindo (e ordinário!) Leonardo, e por consequência, foi obrigada a assumir as responsabilidades de adulto e enfrentar sozinha uma vida a parte do que ela conhecia.

    Mesmo Ivy estando fora de casa por causa dos estudos e longe das asas protetoras de sua família, ela ainda era a “garotinha do papai”. E somente depois do furacão, surfista, bonitão que atendia pelo nome de Leonardo ter atravessado o seu caminho, foi que a personalidade destemida, protetora e sonhadora de Ivy apareceu.

    Leonardo Belford me encantou! Até quando a vontade esmagadora dessa pessoa que vos fala era a de esganar o “ordinário, troglodita, neanderthal”, aos poucos fui entendendo que ele tinha muitas mágoas, cicatrizes e culpas que o faziam agir como tal.

    Ainda que suas iniciais intenções não fosse as melhores, Ivy o transformou. E ver essa transformação acontecer aos poucos, simplesmente o redimiu de seus erros.

    A autora trata a fé e a esperança consolidada na força de Deus, com a graça e a sabedoria presente nas escrituras sagradas, mostrando que o mal vai sendo subjugado através das provações pelas quais os personagens são submetidos.

    Não compartilho da mesma religião da autora, mas não se pode negar seu amor a Deus e sua vontade de transformar, através de sua escrita, o coração de cada leitor que tem a oportunidade de ter uma de suas obras em mãos. Lycia Barros deixa claro em seu trabalho que sua única vontade é compartilhar seu amor ao próximo, com a esperança de que o leitor descubra por si mesmo sua própria fé e compaixão, usando como alicerce a palavra do Criador.

    Uma Herança de Amor – O Plano Perfeito, é um livro familiar. Cheio de valores a serem lembrados, de exemplos a serem seguidos e a promessa de que em nosso momento mais solitário, sombrio e desesperador ainda existe um ser maior que nos guarda e nunca irá desistir de nos cuidar.

Lu. Franzin

*Nota. - Todas as resenhas expostas nesse blog são de minha autoria e responsabilidade, elas expressam a “minha” opinião pessoal a respeito dos livros lidos. Não é meu interesse denegrir a imagem de nenhum autor, e nem influenciar os novos leitores de maneira negativa ou positiva a adquirirem ou se absterem de alguma obra.



sábado, 3 de agosto de 2013

Entre o Céu e o Mar - Nos Montes da Inocência - Livro I




Entre o céu e o mar – Nos montes da inocência – Livro I
Autor: Robson Gundim
Editora: Modo

Sinopse:

Annette Legrand - descendente de ingleses - imigra para os Montes Apuseni ainda quando criança, para viver nos ermos campestres longe dos rigores da guerra. Ela acaba conhecendo e vivendo junto a um garoto chamado Richter Belmont, um orfão adotado pelo romeno Loweed Schwartz. Com o passar dos anos, Annette e Richter descobrem que irão se separar; ela é levada para um colégio interno na grande Bucareste e Richter fica sozinho no rancho. Doze anos depois, formada e transformada numa deslumbrante mulher, Annette Legrand regressa ao território que marcou a sua infância, redescobrindo o marcante e profundo sentimento que uniu a sua vida à de Richter. Contudo, o que Richter não sabe, é que Annette noivou-se com Nicholas Willefort, um nobre herdeiro de um conde, com quem Annette irá se casar...

Resenha:

      Falar do trabalho de Robson Gundin não é uma das tarefas mais simples. Acabo por me tornar suspeita e preciso esforçar-me para ater-me ao contexto de sua obra e não me rasgar em elogios sobre esse promissor escritor “NACIONAL”, que me prende em nós sobre sua talentosa escrita.

      Em sua mais recente obra, “Entre o Céu e o Mar – Nos Montes da Inocência – Livro I”, Robson nos leva ao inicio da história contada em Entre o Céu e o Mar, as origens mais detalhadas da vida de Annette e Richter. Leva-nos ao rancho onde o amor dos dois nasceu e foi relembrado depois de anos de distanciamento entre eles, além de incluir elementos desconcertantes e surpreendentes da verdadeira história de Richter.

      Um mistério ronda o passado e o presente de Richter, algo a mais que os segredos ocultos sobre a história de seu pai biológico, algo sobrenatural e que permeia a essência viva desse personagem instigada pela expressiva marca em formato de cruz que ele leva no peito. Surge então um inimigo que irá mudar o rumo da vida de Richter, ele terá que descobrir muito mais sobre seu passado, para traçar os motivos do seu presente e buscar o caminho para seu futuro.

      Sobre Annette, percebemos os motivos que a levaram a tornar-se uma corsária. Sua volta ao rancho depois de anos sendo educada sobre as regras da corte, e com uma futura cunhada e um futuro noivo, Nicholas Willefort, atados pelas convenções a ela, Annette sente-se sufocada pela vida que lhe foi imposta, e não entende o mal que está causando a si mesma. Mas quando sua alma se encontra livre sobre o lombo de um cavalo, e ao lado de Richter, ela percebe que estaria aprisionando seu espirito livre, ousado e destemido sobre as regras e normas de um lugar que nunca seria capaz de seguir.

      Adorei a menção a Vlad Dracun, como a lenda original do tirano e temível empalador sanguinário, que tornou-se o Conde Drácula de nossas histórias mais fantasiosas.

      “... Mãos agarradas; vestidos redondos e frondosos circundando incansáveis pernas femininas e saltos para frente e para trás, em meio ao disparar dos versejes e gritos ditosos dos homens...”. (quote).

      Olha se isso não é magica em forma de escrita!!? Quase saí dançando na companhia dessas pessoas!

      Senti falta de alguma menção ao irmão de Annette, e sobre seu tio corsário. Mas entendi que o Livro I realmente é a base do que está em Entre o Céu e o Mar. Reverencia especificamente a historia de Annette e Richter, e (ainda bem!) que o autor nos reservou uma continuação dessa tão distinta história!

      Nos Montes da Inocência – Livro I, não tem tanta ação quanto Entre o Céu e o Mar. É a historia inicial, é a mostra de tudo o que levou os personagens a se transformarem. Os motivos que os levaram a mudarem seus destinos e seguirem por um caminho incerto em busca de um futuro mais incerto ainda.

      Muitos mistérios ainda estão por vir. Ainda há grandes segredos a serem revelados e a história de Annette e Richter ainda tem um longo caminho a percorrer.

      Mais uma vez o autor nos surpreende com seu conhecimento da língua portuguesa, usando de referencias e palavras que engrandece o nosso conhecimento, e nos faz lembrar um querido e esquecido amigo: o dicionário!!!

      Robson Gundim tem uma maneira toda peculiar de unir as palavras, transformando-as não apenas em uma história fantástica e cheia de aventuras, mas também em pura e embriagante poesia corrida.


Lu. Franzin


*Nota. - Todas as resenhas expostas nesse blog são de minha autoria e responsabilidade, elas expressam a “minha” opinião pessoal a respeito dos livros lidos. Não é meu interesse denegrir a imagem de nenhum autor, e nem influenciar os novos leitores de maneira negativa ou positiva a adquirirem ou se absterem de alguma obra.



sábado, 13 de julho de 2013

Amores Impossíveis




Amores Impossíveis
Autor: Diversos
Editora: APED / Selo Alcantis
Categoria: Literatura Nacional / Ficção / Contos

Sinopse:

     Antologia romântica que traz dezesseis contos inspirados no  relacionamento apaixonado de pessoas que  se veem diante de grande dificuldade para a concretização de  seu  amor; produzidos por novos talentos da literatura que demonstram muita personalidade nesta belíssima obra, com narrativas que pretendem tirar o fôlego do leitor.
 
     O livro reúne contos que abordam questões  como relacionamentos proibidos, paixão arrebatadora, destinos  cruzados, entrega incondicional, mas também traz contos que discorrem sobre as oportunidades perdidas e os desdobramentos de um amor que não pode ser correspondido.

      “Não sei quanto a você, mas ficar ao seu lado, Luiza, e não poder dizer o que estou sentindo e nem ao menos tocá-la da maneira que desejo, está sendo uma tortura para mim...”

      “O amor não correspondido dói, uma dor física, profunda e sufocante. Todo este sofrimento apagou boa parte da chama e o resto ela fez questão de esconder por trás de seu sorriso e da sua fala articulada. Não queria perder a amizade, mas já sabia que nunca teria novamente o amante.”

Sobre a antologia: 

     Bem, não é sempre que podemos falar sobre algo que escrevemos, mas estou muito feliz em ter a chance de apresentar uma obra sobre a qual participei.

     Amores Impossíveis reúne os contos finalistas do CLEC, concurso literário organizado pela parceria APED Editora e o selo Alcantis, que tem a audaciosa proposta de exortar novos autores à criação de contos românticos norteados pelos aspectos mais profundos no amor romântico entre duas pessoas que se veem diante da extrema dificuldade de realizar seu romance. 
     Após duas longas fases eliminatórias foram selecionadas 16 pungentes histórias criadas pelos autores eleitos:

Alessandra Marchi Carrasco, Aline Soares, Edweine Loureiro, Fabiane Stela Finger, Francine Porfirio, Graci Rocha, Lu. Franzin, Ricardo Biazotto, Roger G. M. Laureano, Sheila Lima, Vanessa Tourinho, Vivian Albuquerque, Wellington S. O. e Wesley de Andrade. 
     Ainda estou lendo os contos dos outros autores, e em breve estarei postando uma resenha da obra.

Lu. Franzin

*Nota. - Todas as resenhas expostas nesse blog são de minha autoria e responsabilidade, elas expressam a “minha” opinião pessoal a respeito dos livros lidos. Não é meu interesse denegrir a imagem de nenhum autor, e nem influenciar os novos leitores de maneira negativa ou positiva a adquirirem ou se absterem de alguma obra.


quarta-feira, 27 de março de 2013

Teu Silêncio, Minha Resposta - Resenha


Teu silêncio, Minha resposta.

    Minha primeira resenha de um conto, e já comecei com chave de ouro!
 
    O nome desse conto de Fábio Abreu não poderia ser mais apropriado do que qualquer outro. Faz jus com maestria ao que remete a história de Mayara e Cristian. Não vou ficar explicando os detalhes do enredo, pois estaria revelando partes do conto que deve ser lido e sentido a cada novo parágrafo.

    Fábio Abreu é um jovem e talentoso escritor cheio de imaginação, que deu seus ares da graça com um conto magnifico que inicia e encerra a antologia O Ultimo Dia Antes do Fim do Mundo, lançada recentemente (tem resenha no blog!).

    Muitas vezes o medo é o maior inimigo do ser humano. E esse mesmo sentimento é capaz de privar a nós mesmos de buscarmos nossas próprias realizações. Cristian passou quase toda a vida com medo de expor seus sentimentos a Mayara, e ela tinha o medo de contrariar os pais controladores. Isso fez com que Cristian sofresse o amor platônico por ela por tanto tempo, que quando resolveu dizer-lhe a verdade sobre seus sentimentos, surpreendeu-se com a resposta afirmativa de Mayara.

    Ela por sua vez, deixou que suas decisões fossem subjugadas pelo domínio possessivo e controlador dos pais, abrindo mão até de suas escolhas profissionais em favor da vontade dos seus genitores.

    Cristian tentou lutar, a sua maneira. E Mayara tentou fazer parte dessa batalha.

    O custo das escolhas de cada um dos protagonistas mostra que não havia nem em um, e menos ainda no outro, uma força maior que pudesse ser capaz de destruir as barreiras impostas pelo destino.

    E me pergunto agora, quantas Mayaras e quantos Cristians existem a solta, e julgam-se incapazes de merecerem o futuro tão almejado, deixando-se serem carregados pela vida como se estivessem a deriva numa correnteza, sem caminharem com suas próprias pernas.
    
    O conto de Fabio Abreu mostra uma história simples e surpreendente, mas cheia de sentimentos poderosos como o amor e o medo, como a esperança e o desalento. Tantos outros grandes sentimentos são arrastados pelos personagens, que nos saltam aos olhos o amor, a dor e a agonia que o desenrolar do conto vai nos apresentando.

    Não há como negar que as guinadas do destino e da vida que nós mesmos traçamos pode mudar de maneira significativa o que seremos num futuro a chegar. Somos responsáveis por nossas escolhas, mas muitas vezes elas não dependem somente de nós mesmos. E na grande maioria de tais escolhas, acabamos por aceitar a comodidade do certo e esperado, escondendo-nos da luta por defender nossas vontades.


    Deixamos de lutar, de conversar e de tentar remediar. Deixamos a batalha entregue por medo, por comodidade e por fraqueza.

    Os sonhos não nos são dados de maneira fácil, gentil e em uma bandeja de prata. Eles surgem cercados de espinhos e nossa função é ir tirando um a um. Exaurindo cada pequena ponta do veneno, para que o tesouro de nossa satisfação nos seja presenteado com nossos esforços.

    Assim é na vida, e assim é no amor.

    Mayara e Cristian são exemplos de muitas vidas. Talvez não igual e fiel a relação deles, talvez mais amenas ou até mais dolorosas, mas com o mesmo padrão de sentimentos pesados que essas muitas vidas enfrentam enquanto buscam seu próprio sonho.

    Teu Silencio, Minha Resposta, me deixou com uma certeza que tento ao máximo de minhas forças usar a cada instante da minha própria vida: Nunca deixar de falar, de pensar e de tomar minhas próprias decisões! Ouvir sim, muitas opiniões, muitos conceitos diferentes dos meus, mas a decisão maior, o bater do martelo, o ultimo ponto final deve ser meu, independente do que virá a seguir, as consequencias e os louros são de minha inteira responsabilidade.



Segue abaixo o contato do autor pelo Facebook:



Lu. Franzin

*Nota. - Todas as resenhas expostas nesse blog são de minha autoria e responsabilidade, elas expressam a “minha” opinião pessoal a respeito dos livros lidos. Não é meu interesse denegrir a imagem de nenhum autor, e nem influenciar os novos leitores de maneira negativa ou positiva a adquirirem ou se absterem de alguma obra.