Início

sábado, 3 de agosto de 2013

Entre o Céu e o Mar - Nos Montes da Inocência - Livro I




Entre o céu e o mar – Nos montes da inocência – Livro I
Autor: Robson Gundim
Editora: Modo

Sinopse:

Annette Legrand - descendente de ingleses - imigra para os Montes Apuseni ainda quando criança, para viver nos ermos campestres longe dos rigores da guerra. Ela acaba conhecendo e vivendo junto a um garoto chamado Richter Belmont, um orfão adotado pelo romeno Loweed Schwartz. Com o passar dos anos, Annette e Richter descobrem que irão se separar; ela é levada para um colégio interno na grande Bucareste e Richter fica sozinho no rancho. Doze anos depois, formada e transformada numa deslumbrante mulher, Annette Legrand regressa ao território que marcou a sua infância, redescobrindo o marcante e profundo sentimento que uniu a sua vida à de Richter. Contudo, o que Richter não sabe, é que Annette noivou-se com Nicholas Willefort, um nobre herdeiro de um conde, com quem Annette irá se casar...

Resenha:

      Falar do trabalho de Robson Gundin não é uma das tarefas mais simples. Acabo por me tornar suspeita e preciso esforçar-me para ater-me ao contexto de sua obra e não me rasgar em elogios sobre esse promissor escritor “NACIONAL”, que me prende em nós sobre sua talentosa escrita.

      Em sua mais recente obra, “Entre o Céu e o Mar – Nos Montes da Inocência – Livro I”, Robson nos leva ao inicio da história contada em Entre o Céu e o Mar, as origens mais detalhadas da vida de Annette e Richter. Leva-nos ao rancho onde o amor dos dois nasceu e foi relembrado depois de anos de distanciamento entre eles, além de incluir elementos desconcertantes e surpreendentes da verdadeira história de Richter.

      Um mistério ronda o passado e o presente de Richter, algo a mais que os segredos ocultos sobre a história de seu pai biológico, algo sobrenatural e que permeia a essência viva desse personagem instigada pela expressiva marca em formato de cruz que ele leva no peito. Surge então um inimigo que irá mudar o rumo da vida de Richter, ele terá que descobrir muito mais sobre seu passado, para traçar os motivos do seu presente e buscar o caminho para seu futuro.

      Sobre Annette, percebemos os motivos que a levaram a tornar-se uma corsária. Sua volta ao rancho depois de anos sendo educada sobre as regras da corte, e com uma futura cunhada e um futuro noivo, Nicholas Willefort, atados pelas convenções a ela, Annette sente-se sufocada pela vida que lhe foi imposta, e não entende o mal que está causando a si mesma. Mas quando sua alma se encontra livre sobre o lombo de um cavalo, e ao lado de Richter, ela percebe que estaria aprisionando seu espirito livre, ousado e destemido sobre as regras e normas de um lugar que nunca seria capaz de seguir.

      Adorei a menção a Vlad Dracun, como a lenda original do tirano e temível empalador sanguinário, que tornou-se o Conde Drácula de nossas histórias mais fantasiosas.

      “... Mãos agarradas; vestidos redondos e frondosos circundando incansáveis pernas femininas e saltos para frente e para trás, em meio ao disparar dos versejes e gritos ditosos dos homens...”. (quote).

      Olha se isso não é magica em forma de escrita!!? Quase saí dançando na companhia dessas pessoas!

      Senti falta de alguma menção ao irmão de Annette, e sobre seu tio corsário. Mas entendi que o Livro I realmente é a base do que está em Entre o Céu e o Mar. Reverencia especificamente a historia de Annette e Richter, e (ainda bem!) que o autor nos reservou uma continuação dessa tão distinta história!

      Nos Montes da Inocência – Livro I, não tem tanta ação quanto Entre o Céu e o Mar. É a historia inicial, é a mostra de tudo o que levou os personagens a se transformarem. Os motivos que os levaram a mudarem seus destinos e seguirem por um caminho incerto em busca de um futuro mais incerto ainda.

      Muitos mistérios ainda estão por vir. Ainda há grandes segredos a serem revelados e a história de Annette e Richter ainda tem um longo caminho a percorrer.

      Mais uma vez o autor nos surpreende com seu conhecimento da língua portuguesa, usando de referencias e palavras que engrandece o nosso conhecimento, e nos faz lembrar um querido e esquecido amigo: o dicionário!!!

      Robson Gundim tem uma maneira toda peculiar de unir as palavras, transformando-as não apenas em uma história fantástica e cheia de aventuras, mas também em pura e embriagante poesia corrida.


Lu. Franzin


*Nota. - Todas as resenhas expostas nesse blog são de minha autoria e responsabilidade, elas expressam a “minha” opinião pessoal a respeito dos livros lidos. Não é meu interesse denegrir a imagem de nenhum autor, e nem influenciar os novos leitores de maneira negativa ou positiva a adquirirem ou se absterem de alguma obra.



10 comentários:

  1. Como sempre perfeita Lu Franzin! Parabéns Robson, sucesso amigo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Fábio!

      O Robson tem o dom da escrita! Não duvido que seu destino esteja reservando-lhe grandes surpresas!!

      Bjo!!!

      Excluir
    2. Obrigado amigos, agradeço de coração!

      Excluir
  2. Nossa que bacana ! Esse já é o que vai ser lançado na Bienal?
    Muito bom ! Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sim Marcia!! Vale a pena conferir! Delicioso de ler...

      Bjo!!!

      Excluir
  3. Suas palavras me engrandecem, Lu Franzin! Tê-la como leitora no livro antecessor foi uma grata surpresa, em parte porque poucos dominam a lingua portuguesa como você, e adoro o seu modo de resenhar, sempre deixando o texto mais enérgico e envolvente. Quanto as pontas soltas, garanto que irão te surpreender no volume final (nos montes da inocência - livro 2), em breve também pela editora modo. Ps. Vasseur te espera nele =D Bjão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Graças ao Lord Maior Robson!!! O Richter já tem dona!!!...rs...

      Brincadeiras a parte, a recíproca é verdadeira meu amigo! Você encanta trançando as palavras com maestria e nos presenteando com mais um tesouro: a literatura!!!

      Beijão!

      Excluir
  4. Essa resenha só me deixou mais empolgado ainda com a leitura! Ficou muito boa.

    ResponderExcluir
  5. Lu detonando como sempre nas resenhas! Estou lendo ele e já estou adorando!

    ResponderExcluir
  6. A Lú a resenha ta como sempre maravilhosa, tbm né, não tem como não se emocionar com a sua escrita fala sério.
    Eu adoro essa capa, sei lá tem um negocio meio que wicca nela, só acho... rsrs
    Bjs Lu

    www.entreserenaoser.com.br

    ResponderExcluir

Postagens ofensivas com palavras vulgares serão excluídas.